Pular para o conteúdo principal

Postagens

A Lava Jato e o messianismo

Acompanhar as conversas de muita gente nas redes sociais é um exercício que tem exigido muita paciência. No Twitter praticamente todos aqueles que se identificam de uma maneira ou outra com alguma coisa que pode ser considerada de direita, passam o dia todo a louvar e a torcer pela operação Lava Jato e pelo juiz Sérgio Moro, como quem reza uma ladainha em favor de um parente morto.
Além da torcida infindável, outro comportamento que observo, que, aliás, é a base para tudo isso, está na fé que o brasileiro tem na justiça, esperando que ela, com seus paladinos, consiga afastar do poder todos os corruptos que estupram o bom senso nesse país.
Não há consciência de sistema nesse país. Sim, de sistema. O brasileiro não consegue entender o que é o Estado de Direito, com as suas instituições, devido processo legal, garantias fundamentais, recursos, normas de processo penal e civil. Exceto os bons juristas, ninguém compreende a densidade disso tudo. Diante disso, a sensação que se tem é de qu…
Postagens recentes

Em defesa do armamentismo

A cada dia que passa eu me torno ainda mais convicto sobre o armamentismo. Acima de tudo por um imperativo moral: um homem deve se defender sem depender do estado e, normalmente, se defender do próprio estado. Defender sua vida, sua honra e sua propriedade.
Não sei vocês, mas acho curioso, tão mal se fala das forças de segurança pública, e ainda assim se confia nelas. Eu não, prefiro uma outra opção...


Leitura: História da URSS

Tem já um certo tempo que eu busco ler mais a respeito da Revolução Russa e da História Russa, em geral, mas, em particular, da História do período soviético. Reputo e considero que a Revolução de 1917 foi o fato de maior importância de todo o século XX e o fim da URSS em 1990 como o fim da História Contemporânea.
Esta edição dos anos 60 do francês Jean Bruhat é uma introdução ao estudo da Rússia Soviética, até o período de sua publicação (o último fato de vulto narrado no opúsculo foi a Corrida Espacial). Não penso que hoje ela pudesse ser indicada para qualquer leigo que quisesse conhecer mais a respeito dos soviéticos. É uma obra marcada por sua época, de caráter descritivo, sem, contudo, deixar de se manchar pelo marxismo francês do autor.
Sobre Jean Bruhat, aliás, temos as seguintes informações.

Nasceu no ano de 1905 e morreu em 1983. Foi um historiador marxista especializado no estudo do movimento operário. Em Paris se filia ao Partido Comunista e adere à militância, sem se des…

A fé socialista e a decadência moderna

Estou muito impressionado com o livro Uma Nova Idade Média, do russo Nikolai Berdiaev.
A sua capacidade descritiva dos problemas mais profundos da sociedade ocidental moderna é impressionante. A atribuição dos males do mundo contemporâneo à degeneração do espírito renascentista para o humanismo é certeira. O liberalismo e o socialismo são dois fenômenos que somente podem existir por esse passado que se inicia no renascimento, passa pela reforma, pelo iluminismo e decaí para o humanismo, onde, na raiz disto tudo, se encontra a revolta do homem contra Deus, querendo aí eliminar a verdade divina da vida humana, em particular da esfera pública. Quando se elimina Deus da história alguém vai assumir o papel de protagonista e claro é que será o homem. 
Ele aponta também o problema do liberalismo e mostra por que o socialismo triunfa sobre esta primeira posição ideológica.
Os liberais vão ver no homem um átomo, completamente desligado dos demais átomos, sem guardar com eles nenhuma relação, …

Mais um passo para o fim do mundo: o retorno do Império Turco Otomano

No último texto que apresentei neste blog falei a respeito da Guerra da Síria e de quem são os interessados reais em ver esse país sumir do mapa.
Eu já havia mostrado que a Turquia é um agente que tem o seu verdadeiro papel nesse conflito e no Oriente Médio minimizado. Fala-se sempre em um primeiro momento da disputa entre Estados Unidos e Rússia na região e, logo após, de Irã e de Israel, também inimigos, tendo os persas o auxílio russo e os judeus a ajuda norte-americana.
Mas e a Turquia, aquele país que foi por décadas a única democracia islâmica verdadeira? Quais as suas ambições?
Voltemos cem anos no tempo. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, os velhos impérios tiveram sua crise final: Império Alemão virou a República de Weimar, o Império Russo virou União Soviética (em 1922), o Império Austro-Húngaro se dividiu e o Império Turco Otomano virou a Turquia e perdeu outros territórios que estavam sobre o seu controle.
Os turcos foram os grandes inimigos da Europa cristã d…

Quem ganha com a Guerra da Síria?

Dois são os indicados ao prêmio de maiores interessados na completa aniquilação da Síria: a Turquia e Israel.
Breve panorama do Oriente Médio
Turquia
Quem governa a Turquia hoje é Recep Tayyp Erdogan. Erdogan vem tentando e obtendo êxito em destruir a obra e o legado de Mustafá Kemal Atatürk, líder maçon do país que no começo do século passado transformou o antigo império Otomano em uma democracia liberal, laica e pró Ocidente. Erdogan é contra tudo isso: é islamita, autoritário e não é pró Ocidente (também não é a favor da Rússia por que os russos são os maiores inimigos históricos dos turcos). 
A Turquia no ano passado viu um golpe de estado, dado pelos militares contra Erdogan ser frustrado, o que só concedeu mais poder e notoriedade para o líder político do Partido da Justiça e do Desenvolvimento. Hoje presidente, acumula amplos poderes. O exército que sempre foi o fiel da balança para guardar o legado institucional de Atatürk hoje está desmoralizado frente ao poder executivo.
O qu…

Um sindicalismo à direita

Época de crise, de transtornos políticos e institucionais no Brasil, é época de colocar reformas em pauta e é justamente isso que o presidente Michel Temer vem realizando em seu governo. Discorde-se de como as reformas tem sido realizadas, discorde-se do próprio teor do que tem sido discutido, mas ninguém pode negar que é mais do que necessário realizar uma modernização em vários campos que tem travado o desempenho econômico e institucional do pais.
Só governantes muito bem avaliados e com ampla base política ou então sem nenhuma pretensão em reeleger-se é que podem fazer as tais reformas que o país tanto necessita. Essa segunda situação é o caso do governo Temer.
A Reforma da Previdência que hoje é aquela que o governo federal mais luta para aprová-la, no meu entender, é uma reforma que vêm para sepultar o fim da vida de muita gente. Pessoas que irão se aposentar após os 70 anos, independente mesmo dos dados de estimativa de vida, estão mesmo condenadas a trabalhar até a morte, sem …