Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Censura já !

Liberais exaltados vão dizer que eu estou a colaborar com os esquerdistas e com os globalistas em defender maior rigor no controle da mídia, mas digo e provo como no Brasil defender a censura é o único modo de dar em algumas gerações noções e costumes já há muito perdidos.

O Brasil não é um país como os Estados Unidos e nem tampouco será um dia, portanto não se pode pegar tudo o que os americanos aplicaram históricamente em seu país e trazer e defender o uso no Brasil. Lá eles podem ainda hoje, num momento de crise moral e de discrédito de muitos daqueles do maior país Cristão do globo, se quiserem podem ter uma dinâmica estatal minarquista ou até mesmo abolir o estado burocrático, porque existem instituições que ainda são muito fortes em um sentido extremamente necessário para a vida social tal qual conhcemos no ocidente mesmo em suas diferenciações: são as instituições religiosas.

Instituições religiosas que não podem nem sequer serem comparadas com as similares brasileiras. Institu…

Os hinos ancestrais

Imagem
Outra dia em uma palavra que o Senhor madou aqui em minha comum, foi falado que ele daria um "canto ancestral", um hino que no passado seus servos lhe haviam entoado e que seria por alguém novamente elevado aos céus.

Recordo-me de um testemunho também de um caso onde em uma oração o Senhor deu à um irmão um hino diferente daquele que eles conheciam, e também foi dado a saber à um outro irmão presente naquela oração, que se tratava de um cântico que fora entoado pelos hebreus em sua saída do Egito.

Eu já vi algumas coisinhas, uma minúscula parte, de tudo aquilo que há no meio religioso, e já vi pessoas manifestarem cantos estranhos em outras línguas. Não me adentrarei neste caso.

Minha mãe sempre teve uma impressão ao ouvir "Va pensiero" da ópera NABUCCO, de Giuseppe Verdi, que aquela melodia se tratava de um hino, e até pouco tempo atrás ela não sabia o que dizia a letra daquela música, mas a paz que lhe trazia era divina, e convenhamos, realmente trás. Não estou …

Será que eu exijo muito da TV ?

Continuando a saga anti-TV, como alguém pode pensar.

Nesta semana esta "caixa-falante" como diziam os que tiveram contato com ela nas primícias, voltou a ter um mega assunto para ocupar 60% de sua grade de horários, o julgamento do "Caso Isabella Nardoni".

Desde as 6h00 já se começa o dia com Nardoni na cabeça. É Nardoni na Record, SBT, Globo, Band e outros que tenham programação jornalística e até mesmo não jornalística. Um porre de Nardoni e de explicações de especialistas.

Eu faço uma pergunta: Porque me interessa me aprofundar nas minúcias de um crime como esse ? Vou ser eu algum dia em minha vida um perito criminal ? No máximo um delegado de polícia, como quer a minha mãe, e mesmo assim pouco tem a ver com tudo aquilo que se poderia supostamente aprender em uma mega cobertura de um julgamento, ou mesmo antes no período de investigações.

Gozado é ver como as pessoas comuns ficam vidradas na TV quando esse tipo de programação passa, a maioria tem uma verdadeira …