Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

A fé socialista e a decadência moderna

Imagem
Estou muito impressionado com o livro Uma Nova Idade Média, do russo Nikolai Berdiaev.
A sua capacidade descritiva dos problemas mais profundos da sociedade ocidental moderna é impressionante. A atribuição dos males do mundo contemporâneo à degeneração do espírito renascentista para o humanismo é certeira. O liberalismo e o socialismo são dois fenômenos que somente podem existir por esse passado que se inicia no renascimento, passa pela reforma, pelo iluminismo e decaí para o humanismo, onde, na raiz disto tudo, se encontra a revolta do homem contra Deus, querendo aí eliminar a verdade divina da vida humana, em particular da esfera pública. Quando se elimina Deus da história alguém vai assumir o papel de protagonista e claro é que será o homem. 
Ele aponta também o problema do liberalismo e mostra por que o socialismo triunfa sobre esta primeira posição ideológica.
Os liberais vão ver no homem um átomo, completamente desligado dos demais átomos, sem guardar com eles nenhuma relação, …

Mais um passo para o fim do mundo: o retorno do Império Turco Otomano

Imagem
No último texto que apresentei neste blog falei a respeito da Guerra da Síria e de quem são os interessados reais em ver esse país sumir do mapa.
Eu já havia mostrado que a Turquia é um agente que tem o seu verdadeiro papel nesse conflito e no Oriente Médio minimizado. Fala-se sempre em um primeiro momento da disputa entre Estados Unidos e Rússia na região e, logo após, de Irã e de Israel, também inimigos, tendo os persas o auxílio russo e os judeus a ajuda norte-americana.
Mas e a Turquia, aquele país que foi por décadas a única democracia islâmica verdadeira? Quais as suas ambições?
Voltemos cem anos no tempo. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, os velhos impérios tiveram sua crise final: Império Alemão virou a República de Weimar, o Império Russo virou União Soviética (em 1922), o Império Austro-Húngaro se dividiu e o Império Turco Otomano virou a Turquia e perdeu outros territórios que estavam sobre o seu controle.
Os turcos foram os grandes inimigos da Europa cristã d…

Quem ganha com a Guerra da Síria?

Imagem
Dois são os indicados ao prêmio de maiores interessados na completa aniquilação da Síria: a Turquia e Israel.
Breve panorama do Oriente Médio
Turquia
Quem governa a Turquia hoje é Recep Tayyp Erdogan. Erdogan vem tentando e obtendo êxito em destruir a obra e o legado de Mustafá Kemal Atatürk, líder maçon do país que no começo do século passado transformou o antigo império Otomano em uma democracia liberal, laica e pró Ocidente. Erdogan é contra tudo isso: é islamita, autoritário e não é pró Ocidente (também não é a favor da Rússia por que os russos são os maiores inimigos históricos dos turcos). 
A Turquia no ano passado viu um golpe de estado, dado pelos militares contra Erdogan ser frustrado, o que só concedeu mais poder e notoriedade para o líder político do Partido da Justiça e do Desenvolvimento. Hoje presidente, acumula amplos poderes. O exército que sempre foi o fiel da balança para guardar o legado institucional de Atatürk hoje está desmoralizado frente ao poder executivo.
O qu…

Um sindicalismo à direita

Época de crise, de transtornos políticos e institucionais no Brasil, é época de colocar reformas em pauta e é justamente isso que o presidente Michel Temer vem realizando em seu governo. Discorde-se de como as reformas tem sido realizadas, discorde-se do próprio teor do que tem sido discutido, mas ninguém pode negar que é mais do que necessário realizar uma modernização em vários campos que tem travado o desempenho econômico e institucional do pais.
Só governantes muito bem avaliados e com ampla base política ou então sem nenhuma pretensão em reeleger-se é que podem fazer as tais reformas que o país tanto necessita. Essa segunda situação é o caso do governo Temer.
A Reforma da Previdência que hoje é aquela que o governo federal mais luta para aprová-la, no meu entender, é uma reforma que vêm para sepultar o fim da vida de muita gente. Pessoas que irão se aposentar após os 70 anos, independente mesmo dos dados de estimativa de vida, estão mesmo condenadas a trabalhar até a morte, sem …

A verdade sobre os que abandonam o Evangelho em favor do Catolicismo

Como uma pessoa que foi criada dentro do Protestantismo, acostumado a renegar o uso de ícones de imagens de escultura, a partir do momento em que supostamente se converte ao Catolicismo, se comporta diante da realidade inegavelmente idólatra desta denominação Cristã? Ignorará aquilo que toda vida creu, e não somente creu com as forças da fé mas compreendeu com a sua razão? 
É isso o que ocorre com aqueles Protestantes que se bandeiam para os lados do Catolicismo. Admitem, como não podem negar, a autoridade da Bíblia Sagrada, admitem que a idolatria é grave pecado, mas por força (ou fraqueza) passam a ignorar, fazer de conta de que as imagens de santos não lhe dizem respeito. Não enfrentam esse mal. Não se trata de uma discordância doutrinária ou teológica. Os católicos sinceros e honestos sabem que sua religião é, popularmente, idólatra, mas fazem vistas grossas a este fato em nome de suas doutrinas, de sua tradição e do papado. Não abrem a boca contra esse mal, por que atentar verba…

A Lava Jato não conseguirá mudar o Brasil

Quem estuda a História do Brasil sabe que todo o tipo de mudança já foi aplicada na política desse país: monarquia e república, república velha, nova e novíssima, ditadura civil e militar, sociólogo e operário. Todas as alternativas um dia aqui já foram um dia aplicadas e se mostram um completo e irrestrito fracasso.
O PT tem em sua história três grandes escândalos: o primeiro a morte de Celso Daniel, ocorrida em circunstâncias ainda não esclarecidas, passadas quase duas décadas; na sequência temos o Mensalão e, por fim, o Petrolão. São esses dois últimos que cabe aqui fazer uma interpretação mais específica.
Em comum tanto no Mensalão quanto no Petrolão está  figura do papel que o poder judiciário vem desempenhar nesses dois escândalos. Joaquim Barbosa foi o primeiro a encarar o personagem de vingador negro a defender a ética, contra um sistema corrupto, quase como Batman em Gotham, ao enfrentar seus adversários. Hoje, com a Lava Jato, quem é o Harvey Dent do Brasil é o paranaense S…

Bolsonaro e seus limites

Imagem
Conforme as eleições de 2018 vão ficando a cada dia mais perto, mais a imprensa tem se interessado em ouvir, de maneira séria, o deputado Jair Bolsonaro. Ocupando hoje na maior parte das pesquisas o segundo lugar, sempre atrás de Lula, Bolsonaro se consolida como um pré candidato sério, pelo menos sério na pretensão em disputar a presidência.
Vamos deixar as coisas mais claras: Bolsonaro é um sujeito de visão política muito limitada. De formação nacional desenvolvimentista (que é parte da formação de todo oficial militar brasileiro) ele flertou, todavia, com o liberalismo econômico. A alma de Bolsonaro não é liberal, é nacionalista. Ele buscou uma aproximação com o lobby pró Israel e o que vem recebendo? Hostilidades da maior parte da comunidade judaica, sempre ressabiada com políticos extremamente autênticos.
Bolsonaro, embora pré candidato a presidência ano que vem, ainda sequer tem um partido definido para disputar: aventam-se muitas hipóteses, desde o PR, de Valdemar Costa Neto, …

Elton John cale a boca !

Em entrevista a revista norte-americana Parade, o música britânico Elton John, 62 anos, disse acreditar que Jesus era gay. "Acho que Jesus tinha muita compaixão, era um homem gay superinteligente que entendeu os problemas da humanidade".
Por Redação Yahoo! Brasil
"Jesus queria que nós amássemos e perdoássemos. Eu não sei o que faz as pessoas serem tão cruéis. Tente ser uma lésbica no Oriente Médio - é melhor estar morto", completou.
Na entrevista, Sir Elton John também contou como conheceu seu companheiro, David Furnish, 47 anos. "Senti-me atraído por David imediatamente. Ele estava muito bem vestido, era muito tímido. Na noite seguinte, nós jantamos. Depois disso, nos apaixonamos muito rápido", contou.

Elton John não foi a primeira estrela do mundo da música a proferir considerações não muito cristãs. Há 44 anos, John Lennon declarou que os Beatles eram mais populares que Jesus. No começo da década de 90, Madonna também causou polêmica ao beijar um santo…

Partidos

Esta postagem foi pensada inicialmente para tratar somente do tal PSD - Partido Social Democrático, que o atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab está montando, e que deve estar plenamente legalizado em pouco mais de dois meses, segundo o que notícia a imprensa, mas, resolvi espichar um pouco a abordagem.
Montar um partido no Brasil é uma tarefa muito dificil. Ouve-se por toda a parte políticos das agremiações mais diversas entre si, falando àqueles que tem ouvidos, que no Brasil os partidos são fracos, "fisiológicos", sem ideologia ou conteúdo programático claro, o que para mim é bastante inverídico. Vejamos.
Sugiro ao leitor que leia, por exemplo, os pontos doutrinários de alguns partidos brasileiros, pegue PRP, PSL, PRB, PTN, PR, PRTB, PHS, entre outros. É evidente que estes partidos defendem ideais, alguns muito semelhantes, bastante populistas. Defendem mais emprego, mais educação, melhores salários, melhor saúde pública, soberania nacional, valorização da lib…

O neo conservadorismo tem aproximado seu discurso da heterodoxia econômica

Imagem
Donald Trump no poder é a chegada, aos meios conservadores, do pensamento econômico heterodoxo, que sempre esteve associado à centro-esquerda, notadamente aos partidos trabalhistas e social-democratas europeus, fortemente inspirados pelo pensamento de John Maynard Keynes.
Trump, até onde sabemos, não é nenhum dogmático de economia, mas se mostra um admirador confesso da chamada Escola Americana de Economia, de Alexander Hamilton, John Quincy Adams e mesmo Abraham Lincoln. Escola Americana é desenvolvimentista, protecionista, nacionalista. No século XX o maior defensor dela é ninguém que o ultra heterodoxo (em todos os sentidos) Lyndon LaRouche.
Uma hierarquia é a partir daqui estabelecida: primeiro o interesse nacional. Esqueça a retórica que vinha dos anos 1980 até a pouco, do liberalismo de Ronald Reagan e Margareth Thatcher. Agora, a nação e a soberania nacional voltaram a estar a frente do livre mercado. É o crepúsculo do dito "neoliberalismo".
Quanto tempo levará para …